• Rua Dr. João Colin, 1285. Sala 03 Joinville/SC
  • Horário: Seg-Sexta: 08.00 às 18.00
  • (47) 3422- 1550

  • cceg@cceg.com.br

Que tal começar o dia com um saudável café da manhã: frutas, cereais, leite, queijo pão e… spam?

O termo spam, que todos conhecem, se refere as mensagens eletrônicas não solicitadas, muitas vezes mal intecionadas, que enchem nossas caixas de correio eletrônico. Mas também, é a abreviação de spiced ham: presunto condimentado. Mas como uma coisa se relaciona a outra?

Existem diversas versões a respeito da origem da palavra spam. A mais aceita, se não, a mais divertida, e endossada pela RFC 2635, afirma que o termo originou-se da marca SPAM, um tipo de carne suína enlatada da Hormel Foods Corporation, e que foi associado ao envio de mensagens não-solicitadas devido a um quadro do grupo de humoristas ingleses Monty Python. O quadro foi escrito para ironizar o racionamento de comida ocorrido na Inglaterra durante e após a Segunda Guerra Mundial. SPAM foi um dos poucos alimentos excluídos desse racionamento, o que eventualmente levou as pessoas a enjoarem da marca, o que motivou a criação do quadro.

Veja o quadro aqui.

Existem três versões, menos populares, a respeito da etimologia que associam o termo spam a acrônimos. A primeira afirma que SPAM significa Sending and Posting Advertisement in Mass, ou “enviar e postar publicidade em massa”, a segunda que significa Shit Posing As Mail, ou “porcaria fingindo ser correspondência” e a terceira que significa Single Post to All Messageboards, ou “mensagem única para todos os fóruns de discussão”. Mas não importa qual a verdaderia origem do spam: ele incomoda independente de sua etimologia.
fonte: Wikipedia e Carta Capital

Tags: , ,


Notice: Array to string conversion in /home/cceg/public_html/wp-content/themes/assurance/includes/library/functions.php on line 295

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

dois + dezoito =